Músicos que apoiam a Palestina são convidados a adicionar seu nome à declaração abaixo pedindo um boicote total ao “Festival Oud”, festival israelense na Jerusalém ocupada. Para adicionar seu nome a declaração use o formulário abaixo ou envie um e-mail para oudboycott@masarbadil.org ou letpalestinesing@gmail.com

Declaração de boicote ao “festival Oud” – festival sionista na Jerusalém ocupada

Nós somos um grupo de músicos palestinos e internacionais e pedimos um boicote total do agora anual ‘festival oud’ de Israel na Jerusalém ocupada, nós nos opomos à normalização com um regime que visa colonizar a capital da Palestina em sua totalidade.

O oud é um instrumento de cordas por excelência da cultura musical árabe e palestina e está sendo apropriado pelo Estado sionista cuja história é baseada no apagamento e roubo dos meios de subsistência dos palestinos. Enquanto o ‘Município de Jerusalém’ israelense relança seus projetos musicais de relações públicas com a flexibilização de certas restrições ao coronavírus os palestinos em Jerusalém estão lutando com unhas e dentes contra a acelerada apropriação de terras em Sheikh Jarrah e em áreas a leste a cidade por parte dos colonos. Além dos artistas palestinos serem atacados ou presos a destruição aérea destruição dos centros culturais palestinos e a falta de verba a produção colabora para que esses artistas passem por dificuldades para produção das suas artes.

O ‘festival oud’ é assim uma forma de esconder os crimes de Israel com algo da cultura árabe e como por nos posicionamos contra toda a participação palestina e internacional. Com muitas poucas exceções os organizadores do festival falharam em recrutar músicos palestinos e árabes para “fingirem” uma ‘coexistência’ entre Israel e palestinos pensada pelo Estado Sionista para esconder o massacre. Essa decisão reflete a oposição popular dos artistas com dos “rejeitados” da Palestina que são uma elite com vistas em Dubai Expo e outras plataformas de colaboração capitalista sionista e árabe. Por isso estamos aqui acreditamos que devemos construir sobre o potencial revolucionário do compromisso anti-normalização dos músicos palestinos e expor ao mundo as raízes políticas sionistas desses fenômenos culturais.

Os eventos ao vivo no festival são organizados pela Casa da Confederação Sionista Haim Gouri, fundada na conquista colonial de Jerusalém e em homenagem a um ex-membro do Palmach, que realizou massacres em 1948, incluindo em Sa’sa ‘e al-Dawamiya. Desde a sua fundação o festival é patrocinado por prefeitos sionistas que desempenham um papel especial no aumento de sua presença. O atual prefeito de direita Moshe Lion afirmou em 2019 que o festival era uma forma de “estabelecer diálogo” ao mesmo tempo que apoiava a mudança da embaixada do governo dos Estados Unidos para Jerusalém como “o único local adequado para embaixadas no estado de Israel”. Em 2021 ele descreveu a colonização sionista de Sheikh Jarrah como uma ‘disputa de propriedade’ e culpou os palestinos por ‘acirrar a violência’.

Enquanto escrevemos esta declaração, os tribunais israelenses estão tentando forçar as famílias do Sheikh Jarrah a aceitar ‘propriedade temporária’ de suas casas por um Organização de Colonos Sionistas.  Os massacres aparentemente impulsivos de Israel contra os palestinos em Gaza e suas operações na histórica Palestina trazem a ameaça constante de obliteração cultural, como a destruição em maio de 2021 do estúdio Mashariq em Ansar ou o bombardeio de agosto de 2018 no teatro Said al-Mashal. Na Jerusalém ocupada, os estúdios Sabreen e o teatro Hakawati enfrentam ameaças devido à sionização da cidade. Artistas como a baixista orquestral Mariam Afifi e o coreógrafo de al-Funoun Atta Khattab enfrentaram as celas dos esquadrões de ataque sionistas, estão presos.

Diante desses crimes o Oud deve está nas mãos de quem luta e dessa maneira se tornar uma ferramenta de libertação anti-racista e anticolonial. Citamos aqui cantores que fazem protesto e são revolucionários: o palestino de Jerusalém, Mustafa al-Kurd e o xeque Imam do Egito ressoaram seu oud pela Palestina. Convocar um boicote ao “festival oud” sionista significa uma defesa da expressão originário, uma posição contra a normalização e intensificação do boicote e isolamento do estado sionista.

Assinada/o:

  • Tareq Abboushi, buzuq player and educator, Palestine
  • Osloob Abdelrahman, rapper, Yafa/France
  • Sama’ Abdulhadi, DJ, Palestine
  • A Blue Pail, producer, Canada
  • Ayman Abou Abdou, oud, Gaza
  • Suma Abu Ali, nai player, Gaza
  • Kinan Abuakel, buzuq, Syria
  • Tamer Abu Ghazaleh, musician and producer, Palestine/Egypt
  • Mohamed Abulyada, oud, Gaza/Germany
  • Ramzi Aburedwan, musician and composer, France/Palestine
  • Abdelaziz Abusharik, qanoun, Gaza/Ireland
  • Hadeel Abu Sharr, vocalist, Gaza/Egypt
  • Fadi Abu Yaseen, oud and keyboard player, Gaza
  • Moneim Adwan, composer and musician, Gaza/France
  • Mariam Afifi, contrabassist, Jerusalem, Palestine
  • Manhal Alfalasteny, singer, composer and songwriter, Tunisia
  • Fida’ Alshaer, oud, occupied Golan, Syria
  • Bahri Altorkmany, buzuq, oud, Syria
  • Fares Anbar, percussionist, Gaza/Turkey
  • Reem Anbar, oud, Gaza/Britain
  • Toni Aoun, songwriter, UK
  • Arabian Panther, DJ and musician, France
  • Samer Asakli, oud, Haifa
  • Rola Azar, vocalist, Nazareth
  • Azza Balbaa, singer, Egypt
  • Tarik Beshir, vocals and oud, Britain
  • Clarissa Bitar, oud player and composer, Palestine/USA
  • Hames Bitar, musician, Spain
  • Issa Boulos, composer and music scholar, Palestine/USA
  • Louis Brehony, musician and scholar, Ireland/Britain
  • Walter Brooker, saxophonist, Canada
  • Kendall Buchanan, jazz musician, USA
  • Baider Burman, Palestinian flamenco guitarist, Sweden
  • Layale Chaker, violinist and composer, Lebanon/USA
  • Checkpoint 303, electronica, oud and experimental soundscapes
  • Bobbi Connolly, guitarist, Wales/Ireland
  • Najib Coutya, vocals and oud, Britain/Lebanon
  • Mustapha Dakhloul, bagpiper, nay player, Lebanon
  • Darbet Shams band, Haifa
  • Nur Darwish, vocalist, Palestine
  • Paula Darwish, singer-songwriter, Britain/Turkey
  • Raymond Deane, composer, Ireland
  • DJ Fatin, DJ, Palestine/Turtle Island
  • Tony Erizia, vocalist and composer, England
  • Haifaa Farajalla, vocalist, Gaza
  • Amanda Feery, composer, Ireland
  • Roger Fowler, singer and guitarist, New Zealand
  • Iandra França, pianist, Brazil
  • Alisa Gayle-Deutch, musician, Canada
  • Gazelleband, Gaza/Britain
  • Toni Germani, musical artist, Canada
  • Cathy Gulkin, documentary filmmaker, Canada
  • Mohammad Habash, al-Ashiqeen group, Palestine/Sweden
  • Mohammad Al-Habbash, oud, Gaza
  • Mariam Haidar, oud, Haifa
  • Ziad Hbouss, bagpiper, Palestine/Lebanon
  • Jacinta Houston, musician, New Zealand
  • Fareed Ismail, Producer, Percussionist, Drummer, South Africa/Canada
  • Kamilya Jubran, musician and composer, Galilee/France
  • Khaled Jubran, composer and music educator, Galilee
  • Bengt Karlsson, flute player, Sweden
  • D4RKSTAR, musician, Sweden
  • Debbie Kennedy, jazz bass player/singer, Australia/USA
  • Diam Keywan, musician, Haifa, Palestine
  • Kamal Khalil and Baladna Group, composer and singer, Jordan
  • Ahmad Al Khatib, composer and oud player, Palestine/Sweden
  • Sam Khattar, musician, Lebanon/USA
  • John King, composer/guitarist/oudist, USA
  • Kofia band, Palestine/Sweden
  • Gabriel Lavin, guitar/oud, USA
  • Leen, drums, Germany
  • Arab Loutfi, filmmaker, Egypt
  • Mats Lundälv, 12-string guitar and vocals, Kofia Band, Sweden
  • Ronnie Malley, oud player, producer and educator, USA
  • Ari Salim Marcus, nay player, USA
  • David McDonald, musicologist, USA
  • Miguel Merino, drums, simsimiyya, Egypt
  • Ayman Mghamis, rapper, Gaza
  • Safaa Mohajeri, vocalist, Germany
  • Othman Mohammad, vocalist/oudist, USA
  • Issa Murad, oud, Jerusalem/France
  • Luci Murphy, vocal artist, USA
  • Ricardo Luiz Nakaima, jazz musician, Brazil
  • William Nassar, composer, conductor and protest singer, Lebanon
  • Antán Ó Dála an Rí, Irish folk/rock, Ireland
  • Raneen Okasha, vocalist, Gaza
  • Rawan Okasha, vocalist, Gaza
  • Sylvia Posadas, songwriter and musician, Australia
  • Produce, dj decks and keyboards, USA
  • Ahmed Qrinawi, oud, Gaza/Tunisia
  • RENU, electronic music composer, Germany/Britain
  • Mai Ruby, oud, Sweden
  • Saba Band, Palestine/Syria/Sweden
  • Hussain Sabsaby, oud, Syria
  • Mohammed Sabsaby, oud, Syria
  • Arian Sadr, percussionist, Iran/Britain
  • Yousef Saif, buzuq player, producer, composer, Brazil/Palestine
  • Yara Salahiddeen, vocalist, Palestine/Egypt/Britain
  • Belal Saleh, oud, Gaza
  • Kareem Samara, oud, Palestine/Britain
  • Haider Sandouk, oud, Iraq/Britain
  • Heike Schotten, professor, US Campaign for Academic and Cultural Boycott of Israel, USA
  • Rich Siegel, pianist/vocalist/songwriter, USA
  • Reem Talhami, singer and actress, Jerusalem, Palestine
  • Ahmad Tamari, percussionist, Palestine/Sweden
  • Imad Tamimi, oud, Palestine/Sweden
  • Jay Taylor, classical guitarist, USA
  • George Totari, songwriter, Nazareth/Sweden
  • Bahri Turkmani, buzuq and oud player, Syria
  • Amal Waqar, oud, Oman/USA
  • Ali Saleh Wassouf, oud player, Sweden
  • Katie Waterland, songwriter and vocalist, USA
  • Roger Waters, songwriter, singer, bassist and composer, Britain
  • David Watson, experimental musician, USA
  • Henry Zaccak, tabla, Canada
  • Wanees Zarour, composer and musician, Palestine USA
  • Basel Zayed, composer and musician, Palestine/USA

Para adicionar seu nome à declaração, use o formulário abaixo ou envie um e-mail para oudboycott@masarbadil.org ou letpalestinesing@gmail.com.

Inscreva-se na Declaração de Boicote do Festival de Oud

 

 

 

Compartilhar
Twittar
WhatsApp
Telegram
Compartilhar
Email
Print
Buffer